• Ft Renata Soriano

ESCOLIOSE IDIOPÁTICA

O QUE É

A Escoliose, ou a curvatura anormal da coluna vertebral, que se dá para um dos lados do tronco, determinada pela rotação das vértebras, é o nome dado ao desvio lateral da curvatura dá coluna. Essa deformidade pode ser vista olhando a pessoa de costas. Diferentemente da cifose e da lordose consideradas desvios fisiológicos, normais da coluna vertebral, que só podem ser observados com a pessoa de perfil.


CAUSAS

Existem muitas causas de Escoliose mas a maior parte dos desvios patológicos da coluna vertebral é idiopática, ou seja, sua origem é desconhecida. Mais de 90% dos casos não tem nenhuma causa conhecida.


Nos casos em que é possível determinar a causa, os desvios anormais da coluna podem ter explicação genética ou, então, serem provocados por anomalias congênitas (aquelas presentes no nascimento, herdadas ou causadas pelo ambiente) ou adquiridas ao longo da vida. Podem, ainda, estar associados a alterações ósseas (espinha bífida, distrofia muscular, atrofia muscular espinhal) e problemas neuromusculares (paralisia cerebral). A Escoliose funcional (mais comum) é a alteração do alinhamento da coluna devido aos desequilíbrios de tensão dos músculos que controlam o posicionamento das estruturas ósseas do corpo e na maioria dos casos, se não revertido totalmente, pode ser controlado. É causado pelo nosso dia a dia como: andar, sentar, dormir, trabalhar e até mesmo nossos relacionamentos e condições psicológicas associadas.


Escoliose em crianças

Na infância, quando os músculos e ossos aumentam seu tamanho, o cérebro precisa se adaptar a essas mudanças; a imagem corporal criada pelo cérebro, como ideal e o real posicionamento das estruturas ósseas, ou seja, o cérebro interpreta que o corpo está devidamente alinhado e simétrico mesmo quando não está, é preciso tratar essa divergência entre o posicionamento estrutural e imagem corporal para não levar a formação da escoliose que pode gerar dores que irão nos acompanham por toda a vida.


Vale ainda destacar hábitos posturais inadequados, traumatismos, tumores, obesidade, atividade física imprópria, vida sedentária, tabagismo.


SINTOMAS

Os sintomas podem variar mas, no entanto, alguns sintomas podem incluir o seguinte:

  • Ombros em alturas diferentes — uma escápula mais proeminente do que a outra

  • Cabeça não centrada diretamente acima da pélvis

  • Aparência de um quadril proeminente, levantado

  • Costelas com alturas diferentes

  • Cintura irregular

  • Mudanças na aparência ou textura da pele sobre a coluna

  • Inclinação do corpo inteiro para um lado

  • Proeminência da costela quando dobrada

Exame computadorizado - Diagnóstico: Escoliose



DIAGNÓSTICO

Pode-se diagnosticar a Escoliose por meio de exames radiológicos, tomografia computadorizada ou ressonância magnética da coluna vertebral.






TRATAMENTO

O tratamento da escoliose, apesar de longo e necessitar de reavaliações constantes, é relativamente simples e apresenta a bons resultados quando a disfunção é identificada na infância.

Um programa de tratamento para correção postural devidamente prescrito, um pouco de instrução, mudança de hábitos posturais viciosos e prática de atividade física constante para manutenção dos resultados obtidos, já é o suficiente para obtermos ótimos resultados.



  • Técnicas de fisioterapia, como a RPG (Reeducação Postural Globalizada)

  • Exercícios de alongamento

  • Exercícios de fortalecimento da musculatura

  • Estimulação elétrica.

  • Órteses (como palmilhas e coletes ortopédicos) podem ser úteis para deter a progressão da curva.


Um tratamento conservador não exclui o uso de medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos e relaxantes musculares para alívio da dor.


RECOMENDAÇÕES

  • Os cuidados com a coluna vertebral devem começar na infância.

  • Deve-se, no dia a dia, desenvolver uma postura correta, ou seja, aquela que demanda menor esforço muscular para garantir proteção para todas as estruturas da espinha dorsal.

  • Manter o peso corpóreo dentro dos padrões ideais para a altura e idade.

  • Evitar o sedentarismo. A prática regular de exercícios físicos, desde que bem orientados, representa um recurso importante para fortalecer a musculatura das costas, dos quadris e do abdômen e dar sustentação à coluna;

  • Adotar uma alimentação saudável e variada, rica em cálcio, mineral essencial para a saúde dos ossos;

  • Redobrar os cuidados de proteção da espinha dorsal ao transportar objetos pesados.

  • Fugir da automedicação para alívio da dor e de outros sintomas atribuídos empiricamente aos problemas da espinha dorsal;

  • Escolher cuidadosamente o tipo de calçados e a altura dos saltos, para evitar os que podem comprometer a marcha e forçar as estruturas da coluna vertebral.


CONSCIENTIZE-SE - A Escoliose pode ser controlada quando devidamente identificada e tratada e o acompanhamento multidisciplinar é fundamental para a saúde de seus portadores.

Em caso de dúvidas,

eu e minha equipe nos colocamos à sua disposição e teremos o maior prazer em lhe auxiliar no tratamento destas disfunções.

Dra. Renata Soriano CREFITO/3 115669

Fisioterapeuta Especializada em Afecções da Coluna Vertebral e Mamãe da Lara.

0 visualização

©  2019 por Clínica Dra. Renata Soriano

Rua Fernando Falcão, 315 - Mooca - São Paulo, SP 03180-001

Tel: 11 2601-3048 

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone